Service
Lorem is dummy text.

Services


Publishing packages and web page editors now use Lorem Ipsum as their default model text

01
Idea Provide
Idea is the ipsum consecte tempor incididuntan andolore tumber tur adipisicing elit..
02
People Research
People is the ipsum consecte tempor incididuntan andolore tumber tur adipisicing elit.
03
Business Develop
People is the ipsum consecte tempor incididuntan andolore tumber tur adipisicing elit.
Testimonial
Lorem is dummy text.

Testimonial


Publishing packages and web page editors now use Lorem Ipsum as their default model text

A incompetência repousa na Receita Federal

A incompetência repousa na Receita Federal

Em 2020 nunca tinha ouvido falar de Paulo Guedes, mas a campanha para a presidência chegou, e junto, os  incultos, e personagens bizarras. O presidente eleito, para toda pergunta desconfortável, logo redirecionava está, para Paulo Guedes, vulgo “posto Ypiranga”. 

O eleitor eterno iludido das soluções fáceis, pensava, bom este Paulo Guedes será certamente, uma peça fundamental, nas enormes soluções de problemas que persistem na República. Como antivoto, votamos contra a corrupção plena, instalada no governo do PT, que coletivamente julgamos culpado. A vida que segue agora, é com um “Messias” eleito, nos parecia colírio para os olhos desatentos.

Pulamos assim, agora, já em vista grossa, diversas ações não correspondidas frente as expectativas do modo operante do governante federal. Ministros trocados fartamente, equívocos em quantidade avassaladora, até que um caminhão, com placa de “COVID 19”, atropelou o governo (chegara a 1.000.000 de mortes até o ano que vem), estas vítimas não irão se calar e vão cobrar através de seus familiares novamente o antivoto. Mas ainda assim, com algum esforço, sem um gladiador a altura, corre-se o risco da desconsideração da falta de gestão, desta crise, que atingiu a todos nós “Covid 19”.

Mas, todos estes fatos sucumbem em um erro clássico, “A LOJINHA”, denominada de Receita Federal. Contávamos que um ministro tão culto, tão bem informado, tivesse percebido, que a Nação depende única e exclusivamente, da Receita Federal – todo o resto não soma nada. Os ladrões de colarinho ali parqueiam, só se consegue prender através desta. O aumento da arrecadação somente poderá ocorrer, si, pelo menos, alguém cobrar o devido ao fisco (não adianta ficar aumentando impostos, criando e recriando falsas soluções, isto é enxugar gelo). O ministro Paulo Guedes, mal assessorado não percebeu ainda a LOJINHA que é sangrada dia e noite 24/7 – é na Receita Federal o início, o meio e o fim de todos os problemas:

Primeiro, começamos com a incompetência herdada de Portugal “a burrocracia”, ali, ainda é praticada pelo carimbão.

Segundo, temos a declaração do imposto de renda (ou seja como o governo não sabe nada – o contribuinte tem que dizer, ao estado, desorganizado, quanto deve…..), e o pior, o governo acredita.

Terceiro, O material humano, ou melhor, os funcionários públicos que estudaram apenas para passar no concurso público federal, tomaram posse, e  se encastelaram no Ministério da Fazenda (a aguardar o tempo a passar), e de lá só sairão quando se aposentarem – o fato é tão grave, que parece filme de ficção, pois funcionários encontraram um paletó em uma cadeira, de um ex-funcionário, que em visita lá, depois de 10 anos de aposentado, foi buscar o seu melhor instrumento de trabalho, e pasmem, lá ainda estava o maldito paletó. A arrogância, a preguiça, a soberba, a vaidade, a prevaricação, o conluio, ali são praticadas por funcionários com raríssimas exceções, como protocolos petrificados.

É sentimento de todos, que conhecem a receita federal, que este órgão, merecia uma faxina, à risca, mas, o Ministro dedicado e atento a enxugar gelo, esqueceu a lojinha do Brasil “Receita Federal”, e sendo assim, abriu mão da única receita legitima da Federação.

O inocente e manipulado, Ministro Paulo Guedes, foi maquiavelicamente induzido (quero ainda acreditar, ao erro clássico de ignorar o que lá acontece), ou simplesmente capitulou. 

Agenor Candido – 05/09/21

Renan inimigo numero um

RENAN CALHEIROS, INIMIGO NUMERO UM DO POVO BRASILEIRO, MAIS UMA VEZ ESTUPRA A CONSTITUIÇÃO.

Mais uma vez o inconsequente presidente do Senado Feral acende uma vela para Deus e outra para o Diabo. Votou a favor do impedimento e contra a inabilidade resultante do impedimento de Dilma. Pensando sempre no seu próprio rabo de molho.  Certamente esta interpretação deverá ser anulada pelo STJ. Pois a inabilidade é contemplada no texto Constitucional e de forma bem clara.

Até quando teremos que conviver com esta especiaria Alagoana. Até quando teremos que engolir este mau caráter que acredita que esta acima do bem e do mau.  Suas intervenções subestimam a inteligência de todos nós. Este falso cidadão (individuo) pediu a palavra para interceder a favor do impedimento e o fez de forma inusitada que o condena eticamente, pois só neste episódio ele usou a tribuna e “pasmem”, disse em auto e bom som que interveio junto ao STF a favor da Senadora esposa do ex-ministro para não ser arrolada no processo de roubo aos aposentados, (Isto é prevaricar), e depois ainda desdisse citando nervosismo. É lamentável. Venho constantemente citando o critério das eleições a senadores que entendo ser irracional e que propicia uma verdadeira quadrilha que manobra e chantageia em conluio a favor de um espaço geográfico, Norte e Nordeste atuando de forma constante contra o Sul e Sudoeste.   É urgente que este critério seja mudado para equilibrar estas forças que atuam ao sabor de suas vontades maléficas e antidemocráticas. Não defendem o Estado e muito menos o Povo. Basta de iludir o povo através da falsa defesa da Constituição. Não se pode parecer ser sério é preciso ser sério, reto, Probo é preciso ser Honesto na casa de Rui Barboza.

Agenor Candido Gomes
01/09/2016 – v02