O PCP não é mais um partido político, e sim, um projeto de investimento para o povo.

O povo cansado de ser traído; ser esculachado nas filas do INSS, na soberba da Receita Federal, na frieza dos bancos estatais, nas irresponsáveis escolas que passam nossos filhos sem aprender nada, da muleta da cota racial para os sem capacidade cognitiva para aprender, dos desvios de funções dos servidores públicos, uma justiça insensata, um congresso viciado, um executivo corrupto e uma minoria do contingente das forças armadas desmoralizadas cooptadas. Sem dúvida, as minorias tornam-se manipuladas por ações superiores com o pretexto de as defendê-las, de si próprias, quando apenas querem ser livres da tutela amoral.   Temos muitos temas, e pouquíssimo tempo para consertar esta bagunça institucional. Em suma, uma vergonha nacional para quem tem honra, clareza realista, moral e ética do quadro desenhado.

Mas tudo tem jeito, e o Brasil tem que achar o seu próprio caminho, e este caminho inicia-se mediante duas palavras fundamentais que devemos considerar como o marco zero de nossa nação; TRANSPARÊNCIA E EFICIÊNCIA.  Entretanto, para a verdadeira revolução que o partido prega, será exigido do funcionalismo público nosso grande aliado, Dignidade e Competência, e nos parece que a grande maioria dos funcionários públicos (com raríssimas exceções encontramos), colocado assim, iniciaremos, um filtro para encontrar as pessoas aptas dentro do corpo público de conduta ilibada (os funcionários públicos devem ser orgulhosos de suas funções e não subjugados como incompetentes e parasitas da nação a esperar o tempo passar na busca unicamente de suas aposentadorias). Os funcionários inúteis serão reciclados para cargos adequados.

O próximo passo é elaborar um PLANO DE ESTADO ou um projeto de nação. Desprovidos de conceitos ultrapassados, os novos governantes devem se dispor em esforçar-se em aprovar a convocação de um CONSTITUIÇÃO CONCEITUAL, e esta, orientada para atacar no cerne a corrupção o nosso inimigo comum, a maléfica lei de Gerson da inocente leve vantagem você também, afastando e enterrando esta cultura do crime inocente, encontrado inicialmente em cada esquina do Brasil representado pelo jogo do bicho com a vantagem financeira para os poderosos do poder. A contravenção é a incubadora do crime profissional.

Nossos governadores são meros marionetes da federação ao sabor do vento “apenas reage e não governa”, estendendo estes bridões e conduzindo-os os seus munícipes para o matadouro cultural na direção suicida do trabalhismo equivocado e do comunismo irracional.

Certamente no projeto do partido, ele acaba com mais de trinta ministérios do nada (frutos de barganhas entre partidos maliciosos), por apenas seis poderes executivos com recursos públicos limitados, as suas competências, e mais nada. Venderemos todas as instituições; publicas, mistas, estatais e mais de deis mil autarquias que funcional como protozoário das parasitas efetivadas por concursos viciados ou designados. 

E sim, sobrará dinheiro para indenizar todos os brasileiros, e o mais importante é colocar o país nos trilhos, no desenvolvimento infinito, inscrevendo nossa nação no processo global de desenvolvimento para podermos voltar a ter orgulho de sermos brasileiros.

Nossa educação está no esgoto do mundo, nossa saúde é uma piada, uma pirâmide com a fraude anunciada, a segurança é ridícula e nossas forças armadas, na verdade, são desarmadas e incompetentes operacionalmente. E ministros analfabetos brincam de democracia como se fossem semideuses, sem prestar conta ao povo e a nenhuma outra instituição emanada do povo, caracterizando e declarando de direito e de fato a falência da República Federativa do Brasil.

Acreditamos, sim, que a república possa ser restaurada e desenvolvida para sermos o 3º, economia do mundo!

Agenor Candido –

Deixe um comentário